Astrologia e as grandes decisões da humanidade

De achados arqueológicos que datam de mais de 23 mil anos, passando pela Mesopotâmia e muitos reinados e chegando à atualidade, a Astrologia, seja de forma oculta ou aceita, fez parte das maiores decisões da história da humanidade.

Se pesquisarmos a fundo, veremos que as grandes decisões da humanidade tiveram um dedinho da Astrologia. Alguns povos da antiguidade tinham uma relação de intimidade com a Astrologia e inclusive usavam os movimentos dos astros para a tomada de decisões. Durante o império romano, por exemplo, era moda fazer previsões e cálculos levando em conta os movimentos no céu.

Se hoje a Astrologia nos traz informações preciosas sobre como observamos e agimos no mundo, em outras épocas ela foi uma ferramenta poderosíssima para que governantes orientassem seus povos e perpetuassem seus impérios.

Na Grécia, escolas ensinavam Astrologia para poucos escolhidos. Foi Aristóteles quem difundiu a ideia dos quatro elementos – água, fogo, ar e terra – influenciando nosso comportamento, Hiparco que estudou os equinócios e Ptolomeu, que colocou em seus livros ensinamentos que usamos até hoje. Nessa época, a Astrologia era, sim, utilizada para a tomada de decisão da realeza: Imperadores utilizavam a Astrologia para saber se seus herdeiros sobreviveriam, se haveria secas ou cheias, se uma guerra teria êxito ou não, e os Astrólogos eram pessoas de altíssima confiança.

Apesar de ter ficado em segundo plano na Idade Média, a Astrologia voltou ao interesse popular, e real, com o Renascimento, época de grandes questionamentos e conflitos, solo fértil para a busca de autoconhecimento. Embora ainda se procurasse as respostas mais fora do que dentro, ou seja, mais no desenho do céu do que nos efeitos que ele provoca em nosso interior.

Um dos nomes importantes da Astrologia moderna foi Kepler, que realizou os seus cálculos matemáticos das órbitas planetárias, há cerca de 350 anos. Até então, o estudo do céu era um só e os grandes astrólogos eram também cientistas. Com a separação de Astronomia e Astrologia, o conhecimento sobre os efeitos do movimento dos astros em nossas vidas acabou se tornando mais popular. Mas, ao mesmo tempo, essa popularização, especialmente por causa dos horóscopos generalizados, acabou também tirando um pouco da credibilidade do estudo astrológico.

De qualquer forma, existe uma importância histórica e científica no estudo da Astrologia. Ao perceber os movimentos dos astros e a relação entre eles, podemos compreender que há tendências que aparecem de tempos em tempos, mudanças relacionadas às características atribuídas a cada signo e planeta, e que não podem passar despercebidas. Muito mais do que um apanhado de dados, estamos falando de uma observação minuciosa do universo.


 

Por que conhecer Astrologia?

Conhecimento milenar, a Astrologia nunca ficou fora do imaginário popular, mas parece ter voltado aos holofotes nos últimos anos, com o aumento em busca de autoconhecimento. Mas, por que motivos devemos conhecer Astrologia?

Quanto mais nos conhecemos, mais podemos tomar decisões assertivas na vida e talvez esse seja um dos principais motivos pelos quais devemos conhecer Astrologia. Imagine se, nas várias encruzilhadas que aparecem no seu caminho, você tivesse uma bússola, um mapa que ajudasse a entender quais decisões falariam mais alto ao seu coração. Pois é assim que eu vejo a Astrologia! Mais do que um meio de prever o futuro, saber quais são seus signos em cada pedacinho da vida pode ajudar a perceber porque sofremos mais em algumas situações do que em outras, ou porque ficamos felizes com coisas que levam outras pessoas às lágrimas de sofrimento.

Cada um de nós tem um blend, uma mistura única que é feita de várias características. Conhecer essa identidade permite entender nossas reações, reconhecer nossas habilidades e talentos e perceber o que nos faz mais feliz. Se enxergarmos a Astrologia e a leitura do nosso Mapa Astral desta forma, fica muito mais fácil ter uma compreensão mais ampla e, ao mesmo tempo, mais precisa, da vida. Quer ver? A partir do conhecimento do nosso sol, sabemos como pensamos o mundo, a forma como estabelecemos estratégias de vida. Mas é com a lua que sentimos, lembra? Já falei sobre isso aqui. Então, se você o sol em um signo super estratégico, como Capricórnio, por exemplo, mas a lua em um signo de água, como Peixes, vai, provavelmente, ser uma manteiga derretida, como se diz, mesmo que sua forma de pensar o mundo seja totalmente organizada e até fria.

Da mesma forma, se você tem o Sol em um signo de água, mas prevalecem no seu mapa aspectos com signos de fogo, provavelmente você será mais impulsivo, mesmo que tenha uma forma doce e profunda de perceber o que acontece à sua volta. A Astrologia nos dá ferramentas para entender como nos comportamos com relação ao trabalho, às relações interpessoais, quais os nossos traumas e assuntos mais importantes, e inclusive pode mostrar porque determinadas situações acabam acontecendo diversas vezes em nossa vida, e isso fala muito sobre os nossos aprendizados.

Se eu pudesse te dar um motivo para conhecer Astrologia, certamente seria autoconhecimento. Já atendi pessoas que tiveram sua personalidade muito mais centrada depois da leitura do Mapa Astral, que ficaram anos “brigando” com o horóscopo, quando tudo que precisavam era entender a complexidade que existe em cada um de nós e por que, muitas vezes, não nos identificamos com um só signo. Na verdade, acredito que isso nunca acontece, mas podemos, claro, ter uma afinidade já aparente com algum deles, principalmente se ele é forte no mapa, ou seja, está no Sol, talvez no Ascendente e com muitos aspectos e planetas envolvidos.

Ficou curioso para saber qual é o seu blend único, sua identidade no mundo? Que tal fazer a leitura do seu mapa e entender muito mais sobre seu universo pessoal e traçar estratégias mais acertadas para todas as áreas da sua vida? Cadastre seu email nesta página que eu te explico mais!

 

Muitos planetas em uma casa, nenhum planeta em outra? Não se desespere!

Quem inicia nesse mundo da Astrologia e não conhece ainda como se lê um mapa astral pode ficar assustado ao ver o desenho do seu. Mas não precisa se assustar, tudo no Zodíaco tem razão de ser e nada fica sem explicação. Quer ver?

Você fez seu Mapa Astral em um dos sites que eu indico, como o astro.com e agora está em desespero porque tem muitos planetas em uma casa e nenhum em outra? Pois pode se acalmar, isso é totalmente normal! Quando estamos aprendendo sobre Astrologia ou tentando entender nosso Mapa surgem mesmo muitas dúvidas, e tudo que diz respeito ao autoconhecimento costuma mexer muito conosco. Mas eu vou te mostrar o que significam muitos planetas em um mesmo local do Mapa e como as casas aparentemente vazias tem muita informação. Quer ver?

Stellium = Reunião de planetas, asteróides e pontos cármicos em um local
Quando temos muitos aspectos em uma área do Mapa, seja em uma casa ou em um signo, normalmente existe aí um fator bem importante de aprendizado na vida. É preciso analisar a casa em que essa informação está: se relacionada à família, ao trabalho, aos relacionamentos, por exemplo. Com essa informação, já conseguimos começar a analisar em quais partes da vida nossos esforços estão concentrados, e nossos talentos, também! Na vida, nossos desafios estão sempre ligados diretamente às ferramentas que trouxemos para enfrentá-los e, por isso, não é preciso temer: somos plenamente capazes de usar a informação disponível para atingir níveis maiores de consciência nos assuntos solicitados.

Casas vazias no Mapa Astral
Esse assunto é muito interessante. Lembram que eu falei que costumo dizer que as casas do Mapa são como cômodos de uma residência, que os signos são a decoração e que os planetas são os visitantes? Pois é isso! Mesmo que não haja visitantes naquele local, ele não deixa de existir e de ter uma decoração única. Como assim, Maju? Bem, digamos que você tem sua casa 6, que é aquela que fala sobre sua rotina de trabalho e sua saúde, no signo de Virgem, mas “vazia" (sem planetas e asteróides). Ela pode estar sem visitantes, mas tem uma decoração, uma "energia presente", que fala sobre como você lida (ou deve lidar) com aspectos do seu dia a dia de trabalho e sua saúde como um virginiano! Olha que riqueza de conhecimento, e sem nenhum planeta, asteróide ou ponto cármico nessa casa!!!

Signos interceptados
Outro assunto bastante polêmico para quem inicia na Astrologia são os signos interceptados. Se a cúspide, ou começo da casa está, por exemplo, em Áries, Touro está no meio e o fim da casa está em gêmeos, isso não significa que você não tem nenhuma casa em Touro ou que ele não rege nada na sua vida, ele só está interceptado. Além de ser necessário analisar se existe alguma informação nesse signo, como planetas confinados, por exemplo, ainda é preciso avaliar de que forma ele interfere naquela área da vida. No caso do exemplo, As características, os talentos e os desafios de Touro estão presentes, de alguma forma, mesmo ele não sendo o signo “dono” da casa. Ah, e quando um signo está interceptado, invariavelmente seu oposto também estará, ou seja, no caso de Touro, teremos Escorpião interceptado no mesmo mapa.

Muita informação, né? Mas a mensagem mais importante é: não há problemas? O que o Mapa Astral nos mostra é o desenho de nossas potencialidades, nossa forma de ver e sentir o mundo, como pensamos, como avaliamos as coisas, de que forma nos comunicamos. Então, se há um ou outro fator que pede mais atenção, o que precisamos fazer é exatamente um processo de autoconhecimento e entender quais são as mudanças necessárias para aumentar o que está negligenciado e equilibrar o que está em excesso. Buscar usar todas as ferramentas que temos disponíveis para atingir nosso maior potencial é nossa caminhada nessa vida. Empreenda esse caminho com amor!

Não me identifico com meu signo, e agora?

Está difícil se reconhecer no seu signo solar? Isso acontece porque você não é um signo! Não se identificar com seu sol pode ser indício de que há muito mais para ser explorado no seu próprio interior.

Tem gente que “é de Aquário” e fica procurando em si onde está essa questão inovadora e fora dos padrões que está ligada a esse signo, ou quem “seja de Touro” e se pergunte por que vive atrás de mudanças, já que este é um signo de Terra fixo, ou seja, não é nem um pouquinho chegado a transformações. Pois bem, o primeiro ponto é: não “somos” de signo algum! Essa desmistificação da Astrologia é o grande desafio dessa nova Era: temos todos os signos atuando em nossa vida, cada um deles em determinada área da vida e até em mais de uma, se levarmos em conta seus planetas regentes e que eles podem estar em outros signos em nosso mapa. É muita riqueza para ser resumida em um único signo, não é mesmo?

Eu conheço pessoas que desacreditam totalmente dos conhecimentos astrológicos exatamente porque tiveram contato unicamente com os horóscopos e não aceitam que possamos ser enquadrados em 12 tipos de pessoas. É exatamente isso: não podemos! A verdade é que existem muitas nuances que formam nossa personalidade. Temos nosso jeito de pensar (Sol), nossa forma de sentir (Lua) e como nos mostramos no mundo (Ascendente). Temos que avaliar nossas capacidades comunicativas (casa 3 e Mercúrio no Mapa), o que buscamos no outro e em um relacionamento afetivo (Vênus, Casa 5), como e onde são nossos impulsos (Marte), só para citar alguns aspectos, que ainda precisam ser combinados entre si. Não somos simples, somos complexos, e a Astrologia também o é, e exatamente seu estudo é profundo e prescinde de tempo e dedicação.

Se uma pessoa tem sol em um signo de "terra", como falei acima, mas na totalidade de seu Mapa tem mais elemento "fogo", por exemplo, ela vai ser mais expansiva, mais ativa e vai ser atraída pela mudança. Como querer que alguém assim se restrinja a um único elemento, não é mesmo? Portanto, se você não se identifica com aquilo que chamam de “seu signo”, fique tranquilo e vá buscar uma leitura completa do seu Mapa Astral. Você vai se surpreender e se (re) conhecer de diversas formas em todos os âmbitos da sua vida, e vai entender seus impulsos e porque determinados fatos e estilos chamam mais sua atenção. É esclarecedor!

E não se preocupe, se você não entendeu muito sobre os signos, elementos (como falei de terra e fogo) e ritmos (como falei de fixo e mutável), acompanhe por aqui. Logo vou postar um texto explicando exatamente sobre isso!

 

Aspectos e sua importância

Depois de mostrar a importância dos planetas, das casas, dos asteróides e pontos cármicos, vou falar um pouquinho sobre os aspectos do Mapa Astral. Alguns desejados, outros, temidos, mas todos incrivelmente importantes para nossa evolução.

Você sabe quais são os aspectos entre planetas que aparecem no seu Mapa Astral e qual sua importância? Os aspectos, na verdade, estão acontecendo o tempo todo no céu, com os trânsitos planetários. Você já deve ter ouvido falar que a Lua está em oposição a Saturno, ou que Júpiter está fazendo uma conjunção com Vênus e muitos outros, certo? Isso significa que os planetas, nas suas trajetórias em torno do sol, estão se encontrando, ou se afastando, e como cada um deles “fala” sobre um tipo de energia da nossa vida, vibra de uma determinada maneira, eles acabam “conversando” entre si e essa conversa pode ser amigável ou um pouco controversa.

No nosso mapa natal, essas “conversas” que aconteciam entre os planetas no momento em que nascemos diz muito da nossa personalidade e dos caminhos que devemos trilhar nessa vida. Por isso é tão importante avaliar esses diálogos e, obviamente, ficar atento às mudanças constantes do céu, porque estamos todos em constante movimento: os planetas, as energias, nós. E é a leitura de toda essa informação junta que vai nos mostrar tendências e possibilidades na vida. Os aspectos formados pelos planetas levam em conta a posição deles no mapa do céu: Conjunção (quando os planetas estão próximos de 0º a 10º graus), Quadratura (quando formam um ângulo de 90º graus), Oposição (quando estão a 180º graus de distância), Trígono (quando estão a 120º graus) e Sextil (quando formam um ângulo de 60º graus), entre outros, mas estes são os principais que analiso nos Astros da Semana, por exemplo.

Veja o que cada um deles representa:

Conjunção - quando dois planetas estão muitos próximos, e geralmente no mesmo signo, ocorre uma conjunção. Ela é considerada um aspecto neutro, mas que reforça as energias dos planetas envolvidos.

Quadratura - formada por planetas que estão em elementos que não tem muita afinidade e é um aspecto desafiador. Aparece diversas vezes durante a vida e, por isso, tem um significado forte de mudança que desejamos empreender.

Oposição - apesar de, nesse caso, os planetas estarem em elementos opostos, eles se complementam. Isso significa que é um aspecto desafiador, mas de uma forma que possibilita experiências completas. Os signos opostos são: Áries e Libra, Touro e Escorpião, Gêmeos e Sagitário, Câncer e Capricórnio, Leão e Aquário, Virgem e Peixes.

Trígono - quando acontece um trígono, os planetas estão em signos que se complementam e são totalmente compatíveis. Por isso, é um aspecto positivo e de complementaridade harmoniosa que acontece entre signos do mesmo elemento (fogo, terra, água e ar).

Sextil - esse é o aspecto da sorte! No Sextil, os planetas estão em signos ou de água e terra, ou de ar e fogo, ou seja, elementos que se colaboram e tendem a aumentar a potência de sua vibração.

Não existem aspectos ruins. Na verdade, o que existem são momentos desafiadores e que demandam nossa atenção para processos de crescimento. Sempre que um aspecto tenso se forma, questões importante vêm à tona. Existe um ditado em espanhol que diz: “Lo que te choca, te checa”, ou seja, aquilo que te perturba, vai lá e dá uma checada, averigua, observa, questiona. É no desconforto que nos movemos, certo? E é aí que está a beleza dos aspectos mais tensos em nosso mapa. Os aspectos harmoniosos, por outro lado, são presentes do universo, momentos e questões nas quais temos desenvoltura e nos saímos bem com mais facilidade. No céu, tudo é perfeito, tudo existe para que possamos evoluir e vivermos nosso melhor. Concorda?

aspectos.jpg

 

 

O Mapa Astral e o encontro com o EU

Mapa Astral é puro autoconhecimento e eu vou explicar porquê: quando você se dá conta de todas as potencialidades e dos desafios que trouxe nessa vida, o primeiro passo é se reconhecer como alguém autônomo e completo, cheio de possibilidades. Astrologia é vida!

O principal passo que se pode dar na vida é aquele em busca do EU e o Mapa Astral pode ser uma das mais ricas ferramentas para indicar o caminho. Nessa jornada, ter consciência dos seus talentos e dos desafios que precisa cumprir para ser sua melhor versão é fundamental. Recentemente, eu fiz uma mudança na forma de comunicar meu trabalho, mudando, inclusive, meu logotipo, você chegou a acompanhar esse processo? Por que eu fiz isso? Porque eu queria que você, que consome meus conteúdos, tivesse maior consciência sobre o quanto a Astrologia fala de autoconhecimento.

Muita gente busca os astros, faz a leitura do seu mapa astral em busca de respostas, previsões, indicações do caminho. A Astrologia pode, sim, te ajudar a tomar decisões mais assertivas, mas não baseada em previsões, mas em um conhecimento mais profundo dos seus talentos, das suas habilidades, daquilo que te chama atenção e que vai te fazer feliz. Não é sobre saber exatamente O QUE fazer, mas é sobre entender COMO fazer de uma forma que te preencha e que fale diretamente com o seu eu interior.

Ler seu Mapa Astral é muito mais uma ferramenta de autoconhecimento, de autoanálise. É você se reconhecer nas características descritas ali, entender porque determinadas coisas simplesmente não parecem fazer parte da sua vida e outras aparecem de tempos em tempos, mesmo que você queira fugir. É o aprendizado necessário batendo à sua porta! Quando você se dá conta de todas as potencialidades e dos desafios que trouxe nessa vida, o primeiro passo é se reconhecer como alguém autônomo e completo, cheio de possibilidades e essa é a maior riqueza que a Astrologia pode te dar.

Mas falando um pouco sobre a minha marca: eu juntei ali elementos como os círculos, que representam o sol e a lua, elementos básicos do mapa, a roda do zodíaco, a continuidade da vida. O círculo indica a fluidez do caminho, as infinitas possibilidades que se apresentam a cada dia e como o processo é contínuo, nunca termina! Sempre que encontramos uma resposta, surge uma nova pergunta! Já as linhas representam  os aspectos entre planetas e os pontos de partida e de chegada para cada conhecimento adquirido, como a astrologia, apesar de complexa, pode ser simples e direta. Não é fenomenal? Astrologia é vida!

 

Para mim, mais do que um processo de “saber o que vai acontecer”, ela é um passo em busca de todos os nossos potenciais, para que nós mesmos possamos fazer acontecer! Afinal de contas, quantas oportunidades passam sem a gente perceber? Muitas vezes porque estamos com informações equivocadas sobre o mundo e sobre nós mesmos. Com o sabedoria que a Astrologia propõe e que fala direto à nossa alma, podemos observar a vida com olhos perspicazes, com conhecimento de causa, fazendo escolhas mais completas e cheias de entusiasmo. Não espere ouvir os astros para escolher, faça escolhas que reflitam o que os astros dizem sobre você! Por eles dizem muito!


 

A Roda da Fortuna no Zodíaco

Além dos planetas, nosso Mapa Astral traz asteróides e pontos kármicos que mostram detalhes importantes sobre nossa personalidade e os aprendizados que a vida nos oferece. Um desses pontos é a Roda da Fortuna, a nossa estrela da sorte astrológica.

A Roda da Fortuna no Zodíaco não diz respeito necessariamente à fortuna, como seu nome sugere. Mas ela é, sim, a nossa estrela da sorte astrológica, aquele ponto em que temos predisposição para as conquistas. A Roda da Fortuna é um ponto no Mapa Astral onde nosso Sol e nossa Lua formam um aspecto extremamente harmonioso. É desse ponto que vem nossa alegria, nossa leveza e é exatamente nesse assunto que temos aquela sorte extra na vida.

Nem sempre essa sorte diz respeito a coisas materiais, por causa do seu nome, a Roda da Fortuna causa algumas confusões de interpretação. Dependendo do signo e da casa astrológica em que a Roda da Fortuna se encontre, haverá mais propensão ao que é material, ou ao que é transcendental, ao que diz respeito às ideias, às relações e assim por diante. Como está ligada ao sentido da felicidade, o que ela representa pode mudar conforme o período em que estamos vivendo, já que nossas buscas e o que é importante para nós muda ao longo da vida e na medida em que amadurecemos e passamos por novas experiências.

 Veja um pouco sobre a Roda da Fortuna no Mapa Astral:

Roda da Fortuna em Áries ou na Casa 1: A busca por felicidade está associada ao novo, a busca por ser pioneiro e o desejo de vencer.

Roda da Fortuna em Touro ou na Casa 2: A busca por felicidade está relacionada ao conforto, a sensação de merecimento e a segurança.

Roda da Fortuna em Gêmeos ou na Casa 3: A comunicação é a chave da felicidade. Aprender, ler e explorar o conhecimento é o que a faz feliz.

Roda da Fortuna em Câncer ou na Casa 4: A felicidade vem da família ou de um grupo íntimo, tem instinto de proteção e o respeito com o passado, prática de valores e princípios é fundamental para sua realização.

Roda da Fortuna em Leão ou Casa 5: Se alegra em ser procurado e demonstrar seus talentos. É feliz criando e expressando sua autenticidade.

Roda da Fortuna em Virgem ou na Casa 6: A felicidade está associada ao trabalho, à capacidade de se sentir útil e ao encontro de uma vida que "funciona".

Roda da Fortuna em Libra ou na Casa 7: Parte da felicidade está nas suas associações, relacionamento amoroso e a busca de equilíbrio e justiça.

Roda da Fortuna em Escorpião ou na Casa 8: Vive em transformação e tem na expressão sexual um ponto de forte interesse e realização.

Roda da Fortuna em Sagitário ou na Casa 9: Alegria vem do conhecimento, cultura, viagens. Quando amplia horizontes e vive sua verdade, vive plenamente.

Roda da Fortuna em Capricórnio ou na Casa 10: Sua felicidade está conectada com a carreira e encontrar seu lugar no mundo.

Roda da Fortuna em Aquário ou na Casa 11: Parte da sua felicidade está associada à sua capacidade de ver o futuro, antecipar tendências e também contribuir com causas humanitárias e ações coletivas.

Roda da Fortuna em Peixes ou na Casa 12: A felicidade vem da conexão o invisível, através da espiritualidade, da arte, da conexão com algo maior.




 

Os Nodos Lunares e o aprendizado da vida

Nosso Mapa Astral tem uma riqueza infinita e, assim como os planetas as casas astrológicas, os Nodos Lunares indicam detalhes importantes sobre nossa trajetória e o que viemos aprender.

Os Nodos Lunares estão intimamente ligados com nosso aprendizado na vida. Eles não são planetas, mas pontos kármicos que indicam informações preciosas sobre nossa trajetória. O Nodo Norte, também conhecido com a “cabeça do dragão”, e o Nodo Sul, ou a “cauda do dragão”, que ficam em um eixo exatamente oposto. Ou seja, quem tem o Nodo Norte no signo de Escorpião, por exemplo, terá o Nodo Sul em Touro, se o Nodo Norte for em Aquário, o Nodo Sul será em Leão, e assim por diante.

Para encontrar os nodos, leva-se em conta a trajetória do sol e da lua, do ponto de vista da Terra, e onde eles se encontram no Mapa Astral. Como a Lua demora um mês para completar seu arco e o sol, um ano, os nodos lunares permanecem no mesmo lugar por mais ou menos um ano, ou seja, as pessoas de mesma idade podem ter, também, o mesmo Nodo Lunar.

No Mapa Astral, além do signo, também é preciso ver em qual casa astrológica os nodos estão localizados para sua completa interpretação. Mas, e o que eles representam? Os Nodos Lunares nos ajudam a identificar as jornadas da alma. Enquanto o Nodo Norte representa o aprendizado desta vida, onde chegaremos a partir das nossas experiências, o Nodo Sul indica aprendizados que já ocorreram no passado. É como se o Nodo Sul fosse a caixa de ferramentas que já adquirimos, para conquistar novas ferramentas a partir de experiências que o Nodo Norte sinaliza.

Da mesma forma, o Nodo Sul nos diz sobre aspectos muito costumeiros para nós e que devem ser deixados para trás nessa existência até que se dê o equilíbrio, características que são a nossa zona de conforto, nosso modo usual de agir. Já o Nodo Norte é o confronto, o desafio, o desconhecido, mas é o necessário para que saiamos mudados e amadurecidos das experiências kármicas.

Nosso espírito está em uma jornada de evolução e os Nodos são como uma bússola que indica o caminho de aprendizado da nossa alma na matéria. Siga a cabeça do dragão!

Posição dos Nódos Lunares por eixos:
De acordo com a posição (nódo norte ou nódo sul) em cada uma dessas casas é possível identificar o tipo de desafios que teremos no nosso processo evolutivo. Os eixos mostram os assuntos da vida que teremos que trabalhar para quebrar padrões e também para desenvolver habilidades:

Casa 1 - Casa 7: Eixo da individualidade e dos relacionamentos
Casa 2 - Casa 8: Eixo da matéria e energia
Casa 3 - Casa 9: Eixo do conhecimento teórico e prático
Casa 4 - Casa 10: Eixo da relação entre o passado e o futuro
Casa 5 - Casa 11: Eixo do protagonismo e da contribuição
Casa 6 - Casa 12: Eixo da vida concreta e física x vida abstrata e espiritual

Saiba mais sobre as 12 casas e identifique a posição dos seus Nódus lunares.

Ascendente: Entenda como o mundo vê quem você é!

Já ouviu alguém dizer que não se identifica 100% com seu Signo? Mas nós não somos somente um Signo mesmo! Aquele que é nosso sol rege nosso pensamento, mas temos outros fatores que influenciam profundamente o modo como o mundo nos vê. Quer saber mais?

Astrologia é algo fantástico e, por isso mesmo, extremamente completo. Para entender como o mundo vê quem você é, levar em conta apenas as características do seu sol, ou seja, aquele que costumamos considerar como sendo o “nosso Signo” não é suficiente! Existem pessoas, inclusive, que não tem uma afinidade total com o Signo solar, e a astrologia explica isso mostrando as inúmeras informações que estão em nosso mapa e que, juntas, formam nossa personalidade, nos ajudam a entender a nos relacionar com o mundo e direcionam nossas escolhas nessa vida.

Você não é apenas um Signo!!! Eu bato muito nessa tecla por dois motivos essenciais: primeiro, estar conectado somente ao Signo dos horóscopos, ou seja, nosso sol no Mapa Astral, pode nos limitar! Quantas pessoas passam anos tentando entender certas inclinações, desejos, atrações, e só compreendem a profundidade de quem são quando fazem a leitura do seu mapa: é revelador. Pensar que somos somente um elemento, seja Terra - Fogo - Água e Ar,  é pouco perto da amplitude de possibilidades que a vida nos oferece.

Em segundo, acredito que estamos conectados somente ao nosso signo solar pode gerar um sentimento de rejeição das nossas próprias características emocionais, por exemplo. Eu sinto de um jeito, mas “me obrigo” a agir de outro, porque acredito que deva ser desse jeito. Assim como imposições sociais, familiares, crenças limitantes, a não aceitação das nossas próprias características pode ser um fator de sofrimento na vida.

- Maju, mas e o que isso tem a ver com a forma como o mundo me vê?

Você já teve aquela sensação de que as pessoas não te entendem, ou o contrário, de que alguém pode saber mais sobre o seu interior do que você pode compreender? Tem um item do seu Mapa Astral que é fundamental nesse sentido: seu Ascendente. Enquanto o sol é a forma como pensamos (já falamos sobre isso aqui), o Ascendente é a maneira como agimos no mundo, a nossa aparência, como nos mostramos para o outro. Então, se tenho um signo mais introspectivo no meu Sol, como Capricórnio, por exemplo, mas um ascendente extremamente expansivo, como Gêmeos, embora eu tenha meus momentos de silêncio e seja cauteloso em meus planos de futuro, as pessoas podem me ver como alguém fácil de lidar, e se aproximar com facilidade. É o nosso Ascendente quem repele ou atrai!

Claro que existem outros fatores igualmente importantes a serem considerados, a nossa Lua, por exemplo, que rege nossas emoções, a posição de Vênus, nosso desejo, e Marte, nossa ação, só para citar alguns. Mas nada fala sobre como as pessoas te enxergam como o Ascendente, é ele quem dita seu estilo, pessoal, inclusive a forma como você se veste e comporta!  Quer saber como ler seu Mapa e reconhecer a maneira única com a qual você se relaciona com o mundo? Clique aqui e agende seu horário.

 

Sol e Lua - Razão e Emoção

Se um fala sobre como pensamos, o outro fala sobre como sentimos. Razão e Emoção. Sol e Lua. O dueto mais fantástico da nossa existência.

Sol e Luz, razão e emoção. Quer mistura mais maravilhosa da vida? O Sol é o astro maior, que rege nosso pensamento, nossa forma única de ver e racionalizar o mundo. Por isso, ele dita muito do que nos faz bem, da forma como entendemos e percebemos o que está ao nosso redor. Já a Lua, ah, essa é emoção pura! A Lua é a mentora dos nossos sentimentos, da forma como nos relacionamos com o outro, fala diretamente com nosso coração, com o nosso humor. Já ouviu falar que alguém é de lua? Pois é exatamente isso: todos temos a Lua em um determinado Signo e casa astrológica e isso fala muito sobre a maneira como sentimos, mas a Lua também passeia pelos signos, mais ou menos a cada dois dias e meio, nos influenciando de maneiras diversas e movimentando nosso humor.

Se até agora, lendo todos os meus textos, você ainda não tinha se convencido de que a Astrologia não rotula ninguém e pelo contrário, mostra o quanto somos únicos, este assunto pode esclarecer ainda mais. Temos nossas características pessoais, no Mapa Natal, as características do ano que estamos vivendo, no Mapa de Revolução Solar, e somos constantemente influenciados, com maior ou menor proporção, por todos os planetas. Haja percepção e força para sentir e aproveitar esse movimento todo!!!

Mas voltando ao dueto perfeito: Sol e Lua: a cada ano, vivemos uma revolução solar. O que isso significa? Que o Sol volta exatamente para o ponto em que estava quando chegamos a este mundo, no momento do nosso nascimento. Ele dá uma volta completa na Roda do Zodíaco, cada mês nos trazendo novidades e novas influências e nos trazendo a um novo começo, ano após ano. Já a Lua, inconstante como é, rapidinho muda nossa forma de sentir e mexe com as nossas intenções, primeiro, com o passeio pelos signos, depois, com suas fases: Nova, Crescente, Cheia e Minguante.

Não bastassem essas informações, ainda temos os eclipses! Todos os anos, temos 2 eclipses do Sol, que acontecem quando a Lua está em sua fase Nova, e 2 eclipses da Lua, que acontecem quando ela está Cheia. Os efeitos dos eclipses são sempre sentidos desde alguns dias antes até alguns dias depois. Mas o que eles significam? Quando o sol escurece (eclipse solar), é o passado que vem à tona, e é preciso observar a relação entre os padrões inconscientes do passado e seus efeitos na vida presente, para eliminar o que não esteja mais em sintonia com o futuro que estamos construindo. Quando a lua fica encoberta (eclipse lunar), temos um momento de "eclipse emocional", os nossos padrões ficam mais soltos, a clareza sobre o que sentimos fica encoberta, e a tendência é projetarmos no futuro toda realização e não perceber o que estamos vivenciando no agora.

Como anda sua percepção?

Observando esses movimentos de Sol e Lua, você consegue perceber como eles influenciam no seu modo de ser e sentir o mundo? Tente fazer um exercício, a partir de agora!

Com o Sol
Como Foi seu ano que passou? Intenso, cheio de mudanças, com um ritmo mais lento, as coisas custaram a acontecer? Tente perceber a intenção do ano, a forma como tudo se movimentou. A partir de agora, comece a aguçar essa percepção em seu novo ano astrológico, que inicia no seu aniversário. Pode ser que você entre em um momento completamente diferente! Se viveu um ano intenso, pode entrar em um ano mais tranquilo, ou vice versa. Ou pode ser que a energia continue agitada, sim! Entender essas mudanças energéticas e as diversas possibilidades que vêm com elas ajudam a ter mais calma e aceitar o que nos é oferecido, sem relutar diante das oportunidades.

Com a Lua
Observe a fase em que a Lua está (já baixou meu Calendário Astrológico Anual? Se não, clica aqui e baixa, para entender as fases da Lua e aprender rituais) e acompanhe o signo pelo qual ela está passando. Eu falo bastante sobre isso nos meus stories. Como você se sente? Consegue perceber as mudanças de fase, as influências de determinados signos, se são mais de ação ou se mais emotivos, por exemplo? Olhar para dentro, seja com uma meditação ou mesmo respirando por alguns momentos e tentando entender o sentimento que está prevalecendo, pode ajudar muito a trabalhar seu lado Lua, seu lado emocional.